Você é ansioso?

Precisamos falar sobre a ansiedade. Aliás precisamos falar como ela tem se tornado cada vez mais presente no nosso dia a dia, principalmente no ambiente de trabalho.

Todos nós já presenciamos alguma atitude de ansiedade dentro do ambiente corporativo. Se o fato não estiver diretamente relacionado a nós é com um amigo ou conhecido. Independe de ser uma grande cena onde o profissional é exposto ou aqueles mais sutis. Isso acontece a todo momento!

A verdade é que não importa a intensidade, mas ao fato de não nos questionarmos frequentemente: estamos preparados psicologicamente para lidar com pessoas que sofrem de ansiedade, estando elas diagnosticadas como uma patologia ou não?

O número de pessoas vêm crescendo absurdamente. Em junho de 2019, a Organização Mundial da Saúde (OMS) constatou que o Brasil tem o maior número de pessoas ansiosas do mundo: são 18,6 milhões de brasileiros, o que representa 9,3% da população. 

20200226_083906_0000

Algumas delas com acompanhamento outras tentando sobreviver um dia de cada vez. E  nós, meros seres humanos, muitas vezes consciente ou inconscientemente, apenas observamos sem mover um passo para ajudar o próximo.

Infelizmente a nossa cultura, hábitos e, correria do dia a dia (três desculpas que usamos para tudo), não nos deixa ser gentis, educados e amáveis em nossos espaços corporativos.

A nossa vontade de querer ir além, nossa loucura por números e mais números nos fazem esquecer um pouco de quem está diariamente ao nosso lado.
E digo isso, pois sou a primeira a me avaliar e me colocar na berlinda.

Aliás, foi justamente fazendo essa autoavaliação que me interesse mais pelo assunto e dar o ponta pé inicial para acolher com empatia aqueles com quem convivo diariamente.

Tem dias que funciona. Tem dias que não. Até porque nós também passamos por altos e baixos.

No entanto, é fundamental tentar.

Tornar o ambiente de trabalho mais acessível para quem sofre com esse tipo de patologia ajuda mais aquele que se doa, do que aquele que recebe.

Um bom dia, tudo bem (com interesse verdadeiro). Um sorriso, um docinho com um bilhete amigável. O silêncio quando você não está bem. Uma explicação num tom de voz mais tranquilo.

São atitudes certeiras na hora do desespero do outro e, que, automaticamente ajuda a cumprir bem a suas funções e a dele também, por que não?

Você não perde por escolher a empatia. Vai por mim.
20200226_083226_0000

Afinal, até aquele que se julga “normal” já teve o seu episódio de ansiedade, seja com a ânsia de alcançar aquela meta de fim de mês ou atuando em um novo projeto.

Por isso, é importante pensarmos além dos números que lamentavelmente só aumentam. Chegou a hora de andarmos na contramão e colocar, ainda hoje, um gesto de compreensão e acolhimento em prática.

A minha sugestão é: comece pelo bom dia, tudo bem sincero e disposto. E não aquele automático que usamos quase sempre. E não esqueça: quando um fala o outro escuta.

Experimente e depois me conta como foi.

Adeus licença maternidade

Sou uma mãe prestes a concluir a licença maternidade e quando falo essa frase me sinto como uma condenada.

Custou para o meu campo de visão ampliar um pouco mais. Mas para você enteder melhor meu dilema (e de muitas mães por aí), vamos aos fatos.

Volto a trabalhar no início de fevereiro. Foram 4 meses intensos de cuidado e presença 24h com meu bebê. Um vínculo intenso, inexplicável, surreal.

Desde aquela madrugada do dia 30 de setembro de 2019, voltei para casa a Pâmela mãe do Benjamin, o resto ficou muito bem guardado e esquecido em qualquer canto.

Preciso confessar que antes mesmo de ter um filho sempre desejei ser dona de casa e cuidar dos meus filhos em tempo integral.

Entretanto, hoje vivendo na prática essa experiência posso dizer que tenho outra visão e sentimento também por que não?

Ah tá. Mas para você ver até onde essa bipolaridade é capaz de me levar.

Até o início desse mês, euzinha aqui, chorei horrores por ter que deixar meu bebê de 4 meses no berçário.

E apesar de querer muito voltar ao trabalho, vou continuar chorando até a Pâmela profissional voltar completamente a ativa.

touch-2579147_1280

A verdade é que passado o susto inicial, comecei a me sentir feliz por ter um lugar para onde retornar.

Voltei a pensar na profissional que sempre lutei para ser e no quanto ainda posso conquistar dentro da comunicação.

O coração segue dividido entre a vontade de ter meu filho debaixo da asa e os planos para desenvolver minhas habilidades.

Uma loucura! 

Mas uma loucura importante e necessária para mim.

Escrevendo esse texto, já não me sinto menos mãe  por voltar a trabalhar e estar alegre por essa escolha.

Durante as visitas aos berçários é possível ver quantas mulheres confiam naquelas profissionais (e muitas delas mães também) para deixar seu bem maior.

Muitas dessas mulheres deixam porque não tem jeito e outras porque querem viver a maternidade e também o mercado de trabalho.

Além disso, têm as mulheres que escolhem viver integralmente para a família.

Precisamos julgar alguma delas? Não!
Precisamos nos julgar? Não!

A nossa voz interior nos julga demais e precisamos aprender a domar essa tagarela.

Passou da hora de entendermos que não somos menos mãe porque trabalhamos durante 8h, em home office ou viajando.

Chegamos em casa com o mesmo amor, uma saudade gigante e uma vontade imensa de mostrar para o nosso filho a grande mãemulhesprofissionaldonadecasa que somos.

Chegou a minha vez! Já já recomeço a minha rotina em uma empresa que preciso dizer: Me acolheu grávida!

Sim, Benjamin já crescia na minha barriga quando iniciei no marketing do Magalu.

Acha mesmo que eu quero ser uma profissional melhor apenas por mim?

Claro que não!

Além do crescimento da minha carreira, do exemplo profissional que quero dar para o meu filho e da ajuda financeira na minha casa.

Quero ser uma das inúmeras mulheres que faz o Magalu ser o que é: uma empresa que gosta de gente!

E antes de me despedir um recado especial para você mãe que decidiu voltar ao trabalho.

Vá com fé e quando estiver com seu pequeno invista no tempo de qualidade.

Ele entende!

IMG_20200108_130049_394

Dica de filme: Marriage Story

Você sabia que não é só de “vilão” do Star Wars que Adam Driver vive?

Pois é, eu não! Mas quando descobri, people do céu, virei fã de carteirinha desse cara.

Entretanto não é exatamente dele que venho falar aqui e, sim, desse filme maravilhoso que encontrei por acaso na Netflix e assiste numa tarde dessas: Marriage Story (História de um Casamento).

Que lição de perdão, empatia e descoberta dos nossos sentimentos mais profundos através de um relacionamento conjugal.

Neste filme Adam atua ao lado da bela Scarlett  Johansson que também dá um show. Conexão é conexão né?

No filme, eles têm um filho, depois de alguns anos casados começam a passar por vários problemas e decidem se divorciar.

Em comum acordo, eles escolhem não apelar para advogados, porém Nicole muda de ideia e contrata uma advogada casca grossa.

Aí começa todo o enredo do filme. A cada encontro – enquanto brigam pela guarda do filho – o casal revela as misérias mais íntimas do ser humano.

images (1)

Parece uma história mamão com açúcar, mas acredite, não é.

Não sou nenhuma crítica de cinema, mas a entrega, a atuação, os diálogos nos levam à um profundo olhar sobre o comportamento humano diante das dificuldades e diferenças.

Trata-se de um filme real, atual, duro, desesperador e revelador. Diria até que em alguns momentos é possível ver nossas atitudes nele.

Nicole e Charlie mostram com intensidade o que eu acredito acontecer em muitos relacionamentos. Levanta questões emocionais, financeiras e familiares.

Questões que estão aí escancaradas na nossa cara o tempo todo. Afinal, todo mundo que não viveu algum relacionamento conturbado, já ouviu histórias dos pais, tios, primos, vizinhos e vizinhos dos vizinhos que lutaram muito em um desgastante divórcio.

Por que eu gostei tanto desse filme a ponto de trazê-lo aqui?

Porque ele tem uma estética linda, atores profundos, retrata uma história real e muito próxima das nossas realidades e de tantos relacionamentos que vemos por aí.

Porque ele traz a tona sentimentos primitivos e mostra do que o ser humano é capaz quando algo sai do seu controle.

Porque mostra, de fato, que ninguém se casa pensando no fim e, quando ele acontece, revela como nós não estamos preparados para o fracasso. Seja qual for.

1689390Não vou contar aqui se existiu ou não um final feliz entre Nicole e Charlie.

Você vai precisar ver pra crer e compreender até onde o ser humano é capaz de ir.

Minha dica: se for assistir, vá de coração aberto. Já falei que não é aquele filme “Sessão da Tarde”, ao menos eu não achei.

Se deixe envolver pelos fatos e dores do casal pra entender melhor a profundidade da narração.

E bom filme!

P.s. Tô bem casada viu gente!

Como ter uma rotina mais organizada

Adeus ano velho, feliz ano novo!

Siiiim agora o ano começou de vez e, claro, eu quero que você comece da melhor maneira possível.

Provavelmente você já fez aquele limpa de fim de ano (se não fez vai que ainda tem tempo) e também já preencheu a lista de metas para 2020, aposto que dentre elas têm aquela básica: ser mais organizado.

Se você faz parte desse time, seja bem vindo! Está falando com a chata da organização, sim essa sou eu.

Tudo bem que com um bebê novinho em casa, a minha rotina organizada anda meio capenga. Porém, aos poucos estou conseguindo encaixar a rotina do Benjamin com a minha e está tudo certo.

Mas não viemos aqui falar de mim certo? Viemos atrás de dicas valiosas para manter uma rotina mais organizada.

agenda-3481741_1280

No entanto, antes de anotar essas dicas é importante saber onde você está pisando.

– Por que ter uma rotina organizada?
Porque com uma rotina organizada você vai conseguir fazer o que gosta com qualidade e o que não gosta com calma. Sem deixar tudo atropelado e estressante.

– Como fazer isso?
Primeiro entenda que para isso dar certo depende 100% de você. Por isso, você precisa se conhecer bem e se fazer duas perguntas importantes: 1:  Qual o tempo que você tem disponível? 2: O que você quer para você mesmo?

Feito isso já conseguimos colocar em ação algumas coisas mais práticas, e é aí que começa a brincadeira.

  • • Tire 5 minutos todos os dias para anotar os afazeres do outro dia. Defina quais são as propriedades e comece por essa ordem.
  • • Faça a regra dos 2 minutos que consiste em fazer algo que dura esse tempo na mesma hora, sem procrastinar. Por exemplo, arrumar a cama, guardar as roupas entre outros.
  • • Inclua a regra dos 10 minutos: antes de dormir dê aquela organizada rápida na casa. Vale lavar a louça ou tirar o lixo.
  • • Deixe bolsas e roupas prontas para o outro dia. Isso mesmo, organize marmitas, bolsa de trabalho e/ou faculdade, bolsa de bebê prontas para o outro dia. A ponto de pegar, no máximo incluir a garrafinha de água  e levar.
  • • O mesmo vale para uniformes e roupas. Escolha o look do dia na noite anterior, passe e, se possível, deixe fácil para pegar e vestir. Assim você não gasta o tempo pensando no que usar.
  • • Para as donas de casa ou quem mora sozinho, vale ter um cardápio semanal com o que irá comer nas refeições principais. Com isso você pode deixar as coisas semi-prontas e comer saudável todo dia, sem a desculpa de “não dá tempo.”
  • • Faça as pazes com o congelador. Ele será o seu aliado, afinal dá pra preparar e congelar muita coisa, depois é só descer e mandar vê!
  • • Tire ao menos um dia no mês para dar aquela faxina. Abrir armários para ver o que ainda usa, o que dá pra vender, o que dá pra doar e o que não dá jeito mesmo!
  • Por fim, você precisa saber que uma rotina organizada começa com você conhecendo mais sobre seu jeito e ir adaptando ao seu dia a dia.

Você pode seguir essas e mais um monte de dicas, mas se você não tiver clareza sobre o que deseja, cedo ou tarde você vai encher o saco de tudo isso e voltar a típica bagunça.

Esses dias li um texto que dizia: “a rotina é fruto do conhecimento que você tem sobre você.”

Obs. As regras de 2 e 10 minutos aprendi com Thamara Rodrigues no insta.

Por aqui já dei início em uma rotina mais organizada e produtiva. Chegou a sua vez!

Bora lá?

Último respiro!

Finalmente os últimos dias do ano chegaram.

Em 2019 ouvi muitas pessoas reclamando que o ano foi isso ou aquilo e poucas correndo atrás do prejuízo pra fazer ele ficar melhorzinho.

E me incluo nessa lista!

Mas o fato é que o fim do ano chegou e com ele a nossa vez de respirar fundo, aleluia. Já se tornou um hábito ver o calendário se esvairindo e com ele aquela sensação tensa também.

A hora do respiro chegou! Ufa!

Para mim chegou no momento exato. Acho que nunca me senti tão exausta como nesse ano.

Tive que tomar muitas decisões que sugaram tanto a minha energia que até hoje estou tentando recuperar.

Retornar para o Brasil foi uma delas. Não vou mentir, me readaptar aqui tem sido bem complexo. O clima (por incrível que pareça, descobri que prefiro o frio), os hábitos diários (tipo aquela escapada no fim do dia para sentar na beira do rio Tejo), a comida e, principalmente, a segurança pesaram demais nesse tempo.

E pior, hoje vejo que retornei para cá buscando algo que não existe mais. Pois é, posso me arrepender do arrependimento?

Em segundo lugar está começar um novo trabalho que é totalmente diferente de tudo que já fiz tem sidondesafiador. Através dele sai da minha zona de conforto, o que na verdade foi muito bom. Além de conseguir colocar à prova muitos desafios pessoais.

Por fim, e não menos importante. Descobri que estava grávida. Aliás, que voltei grávida de Portugal! E isso sim foi assustador!

Mas Pam, vocês não queriam filhos? E como queríamos! No entanto, fomos pegos muito de surpresa, recém chegados no Brasil e eu com poucos meses no novo emprego.

Tá bom pra você?

Fora aquele monte de decepções e alegrias que inevitavelmente encontramos na jornada.

Só que isso além de necessário para o nosso amadurecimento, é muito bom de ser vivido.

Pra mim 2019 foi como carregar o mundo nas costas. Me vi fora de mim muitas vezes, como nunca havia visto antes.

Penei para aprender que coisas começam, coisas acabam e isso é importante para o nosso crescimento pessoal.

Agora com toda essa áurea que domina o fim do ano, consigo perceber com mais clareza que para seguir preciso inspirar e expirar profundamente e tentar transformar o processo o mais agradável possível.

Esse respiro de fim de ano não vai resolver todos os meus dilemas. Nem os seus, não se engane.

Porém, ele é importante para darmos valor ao que é realmente necessário, para aprendermos a olhar para nós com mais carinho e, claro, para entendermos que respirar é preciso.

Eu, 2019 e uma bagagem lotada vamos ficando por aqui. Mas já deixo avisado que sigo ao encontro de 2020 com algumas metas bem definidas e cuidar melhor do blog é uma delas. 

Então, não some não. Fica vai ter bolo!

Um longo respiro de fim de ano para você, nos vemos no ano que vem! 😘

Deixe fora da caixa

Então é natal, e o que você fez?
Impossível passar um Natal sem pensar nessa música. Por que, de fato, o nosso calendário anual está chegando ao fim e duas coisas podem acontecer na sua vida nos próximos dias:

Nada ou tudo!

Pra mim 2019 foi um ano bem louco!
Muitas coisas aconteceram, boas e ruins. E eu tive que aprender a aceitar, decidir, conviver e saber que tudo me é permitido, mas nem tudo me convém.

Sim. Amadurecer toda essa confusão só foi possível porque eu coloquei fora da caixa tudo aquilo que me impedia de carrega-lá: culpa, saudosismo, comparação e por aí vai!

Na minha opinião, pensar fora da caixa é exatamente isso. Parar de guardar silenciosamente tudo aquilo que chega ao nosso encontro.

Tirar da nossa caixa tudo aquilo que nos consome e nos chateia, que nos rouba o brilho, o sorriso, o carinho.

Pensar que a minha caixa está transbordando me deixa surtada! Tem coisas boas nela. Mas também tem muito lixo. E eu, aliás, nós não precisamos iniciar um ciclo carregando peso extra.

Acho que todo esse clima de fim de ano só dá um gás a mais para pensarmos fora da caixa e tirar, definitivamente, aquilo que não precisamos mais.

Pensando nisso separei 3 dicas simples para você deixar o que for necessário em 2019.

1 – Pare de seguir tudo que não te agrega. Seja na tv, redes sociais ou spotify.

2 – Não sei qual a sua religião, mas se for católico procure um sacerdote para a confissão.

3 – Entenda o que você de fato acredita e esteja pronto para dizer não.

Dica bônus: Se livre de tudo que te leva a cair em tentação, depressão, raiva ou ansiedade. Livros, cartas, roupas… Lembre-SE: ALGO NOVO ESTÁ POR VIR.

Deixe sua caixa cheia de coisa boa vai! Você vai ver como seus dias se tornarão mais leves.

Me conta ai nos comentários se você já fez um limpa ou ainda tá nessa de que tudo lhe convém. Afinal, vai que você precisa.

20 metas em 2 semanas

O ano passou tão rápido e foi tão atribulado, que nem se eu quisesse dava tempo de cumprir as minhas metas de um novo ano!

Tá, talvez ia rolar. Talvez…

Mas, assim como eu, tem muita gente com a sensação de que 2019 foi um ano perdido no limbo. Não foi pra frente nem pra trás.

Ok, ok. Não estou sendo ingrata. Olha o Benjamin aí pra mostrar que coisas grandes e boas aconteceram.

No entanto, a verdade é que nós não nos contentamos tão fácil assim. E não estou falando mal da maternidade, que isso fique bem claro!

O fato de querermos mais, dependendo do que for, não é ruim! Não sendo algo mesquinho e egoísta, já é válido!

Por isso, não me culpo por tentar correr atrás do preju e realizar algumas coisas boas, nessas últimas semanas de dezembro.

Afinal, até que o sino toque as 24h do dia 31 de janeiro de 2019, ainda é tempo se cumprir metas!

A verdade é que, todo esse devaneio é só pra dizer que fiz uma lista daquelas de fim de ano, só para ver se essas últimas semanas podem transformar um ano todinho!

Você é meu convidado especial nessas metas!
Aqui não tem nada muito complicado. É só um ser humano tentando dar coerência para as metas que ficaram para trás e vida para aquelas que ainda virão.

Bora lá?

  • 1 – Peça desculpas para alguém que você falou ou pensou mal.
  • 2 – Organize armários, gavetas e bolsas.
  • 3 – Desapegue de tudo que for necessário.
  • 4 – Ande descalço na grama.
  • 5 – Compre um livro para começar a ler em 2020.
  • 6 – Abrace seus pais e diga quanto é grato e os ama.
  • 7 – Faça carinho em um animalzinho.
  • 8 – Plante algo na natureza.
  • 9 – Separe o lixo reciclável durante uma semana.
  • 10 – Tenha um dia na semana sem carne e sem açúcar.
  • 11 – Converse com Deus.
  • 12 – Dance!
  • 13 – Escreva suas frustrações.
  • 14 – Vá ao parque de diversões (serve esses de shopping) e brinque!
  • 15 – Tome um café (ou suco) com amigos especiais.
  • 16 – Liste todos os médicos que precisa ir no ano que vem.
  • 17 – Assista uma animação!
  • 18 – Revele uma foto especial desse ano e coloque no porta-retrato.
  • 19 – Dê uma volta na sua cidade para ver a decoração de Natal.
  • 20 – Faça um spa day.

Prontinho! Pode falar vai?! Nossas metas para os próximos dias nem são tão difíceis assim.

Você vem comigo?

Me conta nos comentários se curtiu essa lista e se vai cumprir até o dia 31.

5 Filmes obrigatórios para o Natal!

Simmmm! Dezembro chegou e com ele todo aquele espírito natalino.

Confesso que eu não era tão fã de Natal até morar em Portugal. Gente, vocês não tem noção (ou tem) de como o Natal na Europa é incrível!

No ano passado fomos à inauguração das luzes de Natal debaixo da maior chuva e um frio danado! A praça estava lotada e nada espantou as pessoas daquela festa que foi linda!

Quando vi a região central toda iluminada, chorei! Como Deus é delicado ao nos preparar um tempo tão especial para aguardar a sua chegada!

Porque antes das luzes, músicas e diversão temos uma alegria muito maior: o nascimento de Jesus!

Dezembro foi o mês escolhido para nascer o Salvador. E é Ele que traz toda essa alegria e clima natalino!

Por aqui já decorei toda casa, organizei a playlist e sigo preparando o coração para esse dia tão feliz. Ah! E será o primeiro Natal do Benjamin, tempo melhor não existe.

E como não poderia faltar, também preparei uma listinha com filmes natalinos super fofos que você precisa assistir.

Dá o play que ainda temos tempo!

Klaus:

images (2)Em Smeerensburg, remota ilha localizada acima do Círculo Ártico, Jesper (Jason Schwartzman) é um estudante da Academia Postal que enfrenta um sério problema: os habitantes da cidade brigam o tempo todo, sem demonstrar o menor interesse por cartas. Prestes a desistir da profissão, ele encontra apoio na professora Alva (Rashida Jones) e no misterioso carpinteiro Klaus (J.K. Simmons), que vive sozinho em sua casa repleta de brinquedos feitos a mão.

Jesus: a história do nascimento:

images (3)O filme conta como aconteceu o nascimento de Cristo, desde quando Maria recebe a visita do anjo Gabriel até a chegada do filho de Deus ao mundo, passando por várias dificuldades e bênçãos.

•  O Expresso  Polar:

images (4)É véspera de Natal e um garoto (Josh Hutcherson) está acordado. Sem acreditar mais em Papai Noel, ele espera por algo que faça com que sua crença na figura natalina retorne. De repente ele ouve um grande barulho, indo para fora de sua casa. O garoto então vê à sua frente um gigantesco trem negro com destino ao Pólo Norte, cujo condutor (Tom Hanks) o convida para embarcar. Após certa relutância, ele decide seguir viagem.

Cartão de Natal:

images (5)Antes que a ambiciosa Ellen Langford possa herdar o negócio de presentes de seu pai, ela deve entregar um cartão de Natal especial para o ex-parceiro de seu pai em Snow Falls, a cidade natal que ela nunca conheceu de verdade. Quando uma tempestade de neve a obriga a parar numa pousada da cidade, ela acaba encontrando um amor e descobre o verdadeiro significado do Natal.

O Natal de Angela:

images (6)Situado na Irlanda em 1910, ‘Angela’s Christmas’ é uma história divertida, comovente e comovente sobre o poder da família e o desejo inocente de uma criança de garantir que todos estejam a salvo, calorosos e amados na época do Natal.

 

Informações: Adoro Cinema + Cine Dica

Você precisa experimentar!

Que eu sou apaixonada por café vocês já perceberam né?

Essa é uma bebida que eu consumo bastante e diariamente, por isso, gosto de fazer diferentes combinações para tornar o momento com a bebida ainda mais saboroso.

Pensando nas pessoas que também não abrem mão de um cafezinho, compartilhei no meu instagram várias combinações que deixam a bebida mais saborosa.

Para quem não conseguiu acompanhar, segue aqui um resumão dos posts!

Aproveite sem moderação!

☕ #semacucarporfavor
A verdade é que se eu consigo, você também consegue!

IMG_20191127_163436_600

De acordo com algumas nutris, basta 5 dias degustando o belo cafezinho sem açúcar para você ensinar o seu paladar a curtir sabores mais amargos.

Eu confesso que não lembro quando tirei o açúcar do café. Mas digo com conhecimento de causa: foi a melhor decisão!

Para hoje uma das minha combinações preferidas: pastel de nata com canela e café intensidade 8. Sem açúcar, claro! Parece forte, mas não é (tenta beber o intensidade 12 pra ver). O que eu mais gosto dessa combinação é que tem gostinho de saudade. Em Portugal um cafezinho e paxxxtel de nata ou Belém é de lei.
Pode ser no café da manhã, depois do almoço, no meio da tarde ou no fim do dia. Na terrinha tem café em cada esquina.
.

#semacucarporfavor
Cenas fortes, tire as crianças da sala!

IMG_20191128_150126_544Seja você mineiro ou francês, não importa. O negócio aqui é combinar o queijo com um cafezinho mais doce (sem açúcar viu).

Aqui temos um maravilhoso queijo Brie com mel e meu cafezinho (sem açúcar) preferido, o chocolate trufado da Baggio.

Detalhe: se você já está acostumado a tomar café sem açúcar, vai conseguir sentir melhor o gosto de chocolate no café.

Dica: pode ser queijo Minas com goiabada, mussarela de búfala com geleia de damasco ou qualquer outra combinação, que esse acompanhamento fica mara!

Solta os cachorros já dizia Ana Maria Braga!
.


#semacucarporfavor

Aqui está a minha nova paixão: esse apple strudel cookies que encontramos no Sam’s e o café que não pode faltar. Já aviso que é viciante!

IMG_20191129_133604_682Combinei esse cookie com o café intensidade 12, que eu também chamo de café para corajosos. Sim, sem açúcar e bem, bem forte mesmo! Esse é para aqueles que gostam de ver o pó de café no fundo da xícara.

Confesso que no começo eu só conseguia tomar esse café se colocasse um pouco de leite. Mas agora vai de boa!

Gente preciso ser sincera, o café é bom. Mas esse cookie é de arrasar… gostinho de Natal.
.


#semacucarporfavor

Essa aqui tem sido a minha segunda combinação preferida. Parece que os sabores são tão combinandinhos, feito um para o outro.

IMG_20191202_163215_049O café de caramelo (sem açúcar) da Baggio é aquele mesmo lance, se o seu paladar já está oka sem açúcar vai conseguir sentir lá no fundo o gostinho de caramelo. Vai por mim, faz toda diferença!

Quando virei fã do Stranger Things, o waffle se tornou um item (quase) indispensável aqui em casa. Dá pra colocar mel (como na foto), geleia, brigadeiro, requeijão ou qualquer outra coisa e essa belezinha fica delícia!

Agora pensa acompanhado de café + Netflix! TDB (tá, eu sei que essa gíria é antiga).
.


#semacucarporfavor

Um café bem vintage passando na sua timeline pra deixar seu dia mais fofo.

IMG_20191203_151549_242Minha irmã trouxe esse café artesanal de uma viagem que ela fez para o interior de Minas Gerais e, sim. Ele tem aquele gostinho de café da roça.

Gosto de colocar essa belezinha depois do almoço, como sobremesa. Aí turma do almoço, esse é o nosso café!

Pra dar mais cara de sobremesa ainda é só garantir aquele quadradinho maroto de chocolate. Pequeno pra não pesar na balança hein?!

Delicado, nostálgico e muito saboroso!
.


#semacucarporfavor
O café também é simplicidade!
IMG_20191204_084527_641Nem sempre temos ou queremos algo para acompanhar o cafezinho de todo dia. Mas eu te digo, tem acompanhamento melhor do que a nossa companhia?

Se tem uma coisa que o café me ensinou foi apreciar o momento. Seja ele só, acompanhado ou com guloseimas. O que importa mesmo é apreciar o momento!

Já tomou seu cafezinho hoje?

 

Sem açúcar por favor

Uma pausa nos posts de maternidade para falarmos sobre um assunto que é alegria de muita gente: o café.

Não sei para você, mas no meu caso o café é sempre o motivo para encontros especiais, momentos de leitura, reflexão e descanso.

E não só isso, o café também me ajudou a encarar um “medo” e ser mais decidida. Exato!

E você vai entender como tive essa visão, assim que você ler (e digerir) essa frase da jornalista Carolina Barboza.

 “Se você não consegue vencer um café amargo ou um despertador, como pretende atingir suas metas?”

Sim, tirar o açúcar do cafezinho pode ser algo que vai muito além do paladar. Trata-se também de uma questão de aprendizado, de reconhecimento e poder de escolha.

Ao optar (e persistir) nesse pequeno gesto, você enfrenta o gosto amargo e amplia a sua visão sobre você mesmo e os acontecimentos do dia a dia.

Experimentar algo amargo, no começo, não é nada bom. Fazemos caretas, pensamos em desistir, aliás, em algumas ocasiões pensamos e desistimos. Porém, quando isso acontece nós ficamos sem saber onde teríamos chegado se tentássemos um pouco mais.

Todavia, quando você decide continuar, dia após dia o amargo vai se tornando mais leve e você passa a encarar doses mais intensas.

É assim com o café e é assim com a vida!

Quando decidi tirar o açúcar do café, penei por muitos dias, até perceber que não era tão ruim assim.

Passei a fazer dele uma rotina, me encorajei a experimentar outros sabores e percebi que a minha decisão e confiança mandam não só no meu paladar, mas na minha vida.

É isso mesmo que você está pensando: uma simples xícara de café me ensinou a dominar meus desejos. Ou parte deles.

E como prova viva que o café sem açúcar é bom e de quebra ainda te ajuda a encarar os desafios mais amargos, eu te convido a tentar.

Comece tirando o açúcar do café. Termine vencendo aquele obstáculo bem amargo e siga para a próxima xícara.

Você, na tirou o açúcar do cafezinho hoje?

Me conta sua experiência ai nos comentários!

Ah! E fique ligado que ainda tenho muito papo sobre café pra partilhar com vocês.

Um brinde!

coffee-791045_1280