Lendo a Bíblia em 1 ano

Uma das minhas metas para 2019 é estudar a Bíblia de uma forma mais completa.

Confesso que já tentei inúmeras vezes, até comecei a leitura. No entanto uma coisa ou outra sempre me fazia parar e eu acabava deixando para depois até perder totalmente o foco.

Por isso, para esse ano ao invés de colocar várias metas no papel, decidi escolher uma que tem exigido de mim perseverança, mudança de hábitos, dedicação e oração.

20190102_144009A Bíblia foi escrita por homens inspirados por Deus e através dela o Senhor se revela ao homem manifestando todo seu amor, misericórdia e seu plano para a criação.

Com um desejo enorme de conhecer intimamente a história de Jesus, comecei pesquisando bastante na internet como fazer o estudo e montei um plano de leitura que me ajude durante esse tempo.

Em uma dessas pesquisas no site da Canção Nova encontrei uma formação que dizia: “para ler a Bíblia é preciso adesão da fé, para que essa Palavra produza frutos na vida de quem se debruça sobre a Palavra de Deus e acredita na ação divina”.

A partir daí compreendi que estudar a Bíblia vai muito além de ler por obrigação. E como católica e missionária posso dizer que muitos de nós já fizemos isso. Lemos a Palavra apenas para cumprir tabela.

img_20181219_150552_420Porém, dessa vez quero que seja uma leitura diferente. Espero que esse momento de estudo seja para nós um momento de verdadeiro encontro com Deus e, como aconteceu com os discípulos e acontece ainda hoje com tantas pessoas que se dedicam ao estudo da Bíblia, que colhamos bons frutos.

Que ao ler cada palavra e compreender a mensagem de Jesus nossas vidas sejam transformadas completamente e que sejamos luz da Palavra de Deus aonde estivermos.

Vou partilhar com vocês algumas sugestões para ajudar esse novo hábito e o meu método de estudo que foi baseado no livro do Monsenhor Jonas Abib “A Bíblia do meu dia a dia”.

Lugar:
Encontre um ambiente tranquilo, aconchegante e silencioso onde você pode ficar à vontade e sem ninguém te interromper. Só tome cuidado com o estudo feito na cama, é bem provável que você caia no sono ainda no primeiro capítulo.

Horário:
Muitas pessoas funcionam melhor de manhã e, literalmente, esse é o horário que estamos com a cabeça mais fresca e aberta para novos aprendizados. Eu acostumei e gosto bastante de ler ou estudar depois do almoço, geralmente tomando uma xícara de café. Quando trabalhava em horário comercial, aproveitava o intervalo do almoço para fazer o estudo Bíblico e em casa mantive esse hábito. E, claro, tem que consiga fazer o estudo no fim do dia, eu acho mais cansativo, porque geralmente estamos com toda aquela carga do dia todo. Mas isso basta você encontrar o horário que consegue ter mais concentração e pronto!

img_20181117_204940_942Não esqueça:
Canetas, post its, dicionário e caderno para anotações não podem faltar. Eu gosto de marcar os trechos mais importantes, escrevê-los completamente no caderno, desenhar algumas coisas que me vem à mente e assim ir organizando aquilo que aprendi no estudo. O dicionário à moda antiga também é importante, pois sempre tem uma ou outra palavra que não conhecemos.

P.S. Mantenha o celular desligado ou bem distante para não cair na tentação de responder mensagens ou dar aquela olhadinha nas redes sociais. E se você assim como eu gosta de registrar o momento do estudo Bíblico, deixe para fazer depois que terminou tudo.

Para começar:
Antes de iniciar a leitura, sempre faço uma oração pedindo para que o Espírito Santo me ajude a compreender o que está escrito e me dê as respostas corretas para cada dúvida que tiver.

A meta:
Anotei como compromisso estudar quatro capítulos por dia e conversando com a Dani Fuganti, que há um bom tempo faz esse estudo bíblico, ela me alertou para não me cobrar tanto. Que algumas vezes, ao ler menos capítulos por dia, vou conseguir absorver melhor o conteúdo, me aprofundar mais e pesquisar sobre os personagens, as cidades onde estão etc.  Além disso, ficar se cobrando só vai tornar a leitura mecânica e te deixar mais estressada ou culpada por não ter conseguido ler os quatro capítulos como foi prometido.

O plano:

  • 1ª Carta de São João (leia 2x)
  • Evangelho de São João
  • Evangelho de São Marcos
  • Cartas de São Paulo;

– Gálatas
– Efésios
– Filipenses
– Colossenses
– 1ª e 2ª Timóteo
– Tito
– Filemôn

  • Evangelho de São Lucas
  • Atos dos Apóstolos
  • Carta aos Romanos
  • Evangelho de São Mateus
  • 1ª e 2ª Carta aos Coríntios
  • Hebreus
  • Cartas de São Tiago
  • 1ª e 2ª Carta de São Pedro
  • 2ª e 3ª Carta de São João
  • Carta de São Judas
  • Apocalipse

P.S. Depois estudar e rezar com os livros do Antigo Testamento e Salmos.

Anotações:
No decorrer dos estudos vou anotando o que entendo, partes importantes e, algumas vezes, como estou me sentindo naquele dia e como aquela leitura me ajudou. Além disso, respondo quatro perguntas:

  • Quais as promessas de Deus
  • Quais as ordens de Deus
  • Qual a mensagem de Deus
  • Como aplicar esse entendimento no meu dia a dia

Atenção:
Como disse ai para cima, não se cobre tanto. Claro que você precisa ser perseverante e fazer desse momento com Deus um hábito do seu dia a dia, mas se não rolar um dia ou outro, respire fundo e retome a leitura de onde parou.

Importante:
Coloque o que você aprendeu nas atitudes do seu dia a dia. Ser mais paciente, confiar, ser mais amoroso…pequenos gestos que moldam a sua vida e muda a vida do outro!

E agora, chega de conversa e vamos estudar juntos?

20190102_153700

O primeiro inverno (de verdade) a gente nunca esquece

Ahhhh…o inverno!

Todo mundo fica lindo. Mulheres bem vestidas com seus casacos chiques e meia-calça que você só vê em filmes, os homens com seus sobretudos… Peles rosadas e cabelos esvoaçantes contrastam com a combinação mais fashion: gorro, cachecol e luvas.

Tudo parece muito lindo e é até que os termômetros registram 3º graus (com sensação de bem menos) pela segunda semana consecutiva.

Quem me conhece mais intimamente, sabe que eu sempre tive uma queda pelo calor. De onde eu vim, “no” Goiás é seco, paisagens amareladas quase o ano todo e bem quente. Em Ribeirão Preto onde morei durante muitos anos, durante 360 dias a sensação térmica costuma ser de deserto.

Ou seja! O calor sempre esteve presente na minha vida e eu, diferente de boa parte das pessoas que conheço, me simpatizo com ele.

Quando cheguei em Lisboa, as temperaturas ainda estavam amenas, afinal, era outono e batia a casa dos 14º no mínimo. Sem contar que ainda estava com aquele olhar de turista (que muda tudo), pensava nas combinações de roupas, fotos bem lindas para o feed e nem ligava se no fim do dia o vento apertasse um pouco mais.

img_20190102_172909_240E para falar a verdade nem estava tão frio assim. Nada que um copo de chocolate quente ou uma castanha quentinha não resolvesse.

Mas as estações passam e aquela visão do inverno lindo também. Tá eu sei que tem muita gente que ama frio e que consegue se manter linda, mesmo vestindo uns 20 casacos para esquentar. Porém, eu definitivamente não sou dessas.

Bastou a “chavinha” mudar de outono para inverno que o bicho aqui começou a pegar. A temperatura desceu bastante e, ultimamente, aqui na região de Lisboa tem feito no máximo 15º durante o dia e já alcançamos 2º a noite!!!!

img_20181118_105200_656E estando aqui precisamos nos adaptar a essa rotina gelada a força. Aliás, chegamos ao ponto crucial desse post que é para você que está pensando em mudar para um lugar onde o frio é mais constante que o calor.

Como uma boa amante do verão listei dicas importantes para você conseguir se camuflar no inverno e passar por ele quase intacto.

– Prepare altas doses de vitamina C. Sim, os hospitais por aqui estão lotados e a TV passa mais propaganda de remédios para a gripe do que você pode contar. Você não vai querer ser mais uma pessoa a enfrentar algumas horas de espera para ouvir o diagnóstico.

– Ah! Atenção aos lugares fechados, quentinhos e confortáveis; eles podem ser um sonho e também um reduto de vírus.

– Se joga no hidratante! Mas é se jogar mesmo, da cabeça aos pés, pode parecer zueira, mas parece que o frio ressaca mais a pele do que o calor. Até porque entra aqui aquela “bela” junção de água bem quente + banho demorado.

– Tenha pijamas quentinhos e meias de lã, eles serão fundamentais para os dias de bobeira em casa.

– Use roupas térmicas, casacos mais pesados, cachecol, gorro e luvas. É quase uma armadura contra o frio, mas você vai me agradecer por isso. Aliás, não é apenas a gripe que maltrata no inverno, muitas doenças de pele acontecem porque as pessoas não se agasalham com atenção.

– Escolha lençóis polares e um edredom bem quentinho, eles serão cruciais para uma noite inteira de descanso.

– Coloque fitas isolantes nas portas e janelas para barrar a passagem do vento frio (parece tabajara, mas resolve que é uma belezinha).

– Se possível tenha um aquecedor, mas fique de olho na energia!

E se você, assim como eu, não curte muito o inverno, venha preparado psicologicamente. O clima é um fato importante na sua fase de adaptação. Até porque vai além das temperaturas baixas, por aqui os dias escurecem mais cedo e, por conta disso, as ruas acabam ficando mais silenciosas e menos movimentadas. Dá até uma deprê.

A dica principal é: tenha a mente no lugar e um organismo forte, assim o inverno tende a durar menos tempo do que você imagina. Eu acho (:

img_20181217_091134_785

Podcast – I’ll be back

Sim, ele voltou! Aliás já faz um bom tempo que quero escrever outro texto falando sobre as minhas novas aventuras com o Podcast.

Desde que escrevi o O Podcast vai dominar o mundo. Você também acha?, tenho recebido inúmeras sugestões de conteúdos bacanas e diferentes para a minha playlist.

E essa chuva de coisa boa, casou bastante com meu atual estado de vida: mudança de país, casa sem TV e toda essa adaptação me rendeu um bom tempo de dedicação e escuta aos novos (ou nem tanto) programas que encontrei por aí.

Mas vamos por partes.

Para você que ainda não conhece, o Podcast é um conteúdo em áudio – parecido com programas de rádio – disponibilizado em diversas ferramentas incluindo o Spotify.

Assim como em outros formatos, cada “programa” tem seus temas, apresentadores, convidados e estilo. É um ambiente onde você encontra praticamente todo tipo de assunto como gastronomia, cinema, empreendedorismo, literatura, games, história, cotidiano e por aí vai.

Não tenho dúvidas de que se você pesquisar vai encontrar um conteúdo bem massa para se aventurar por esse mundo da podosfera.

E como aconteceu comigo, o Podcast está aí para levar informação de acordo com o tempo que você tem. Por se tratar de programas em áudio dá para ouvir a caminho do trabalho, cozinhando, descansando, viajando, fazendo compras… tanto faz.

O bacana é que você consome um conteúdo engrandecedor ou incentivador (vai depender do assunto que escolher) no tempo que você tem disponível ou que, de alguma forma, seria perdido.

Chegamos ao que interessa!

Reuni em uma lista 10 Podcasts que eu tenho escutado e que foram indicações nos comentários do artigo anterior. Aumenta o volume e aproveita!

Só não esquece de deixar nos comentários qual o seu preferido.

Fones de ouvido se preparem que eu vou lhe usar

1 – Nerdcast RPG 

Que vício é esse Nerdcast RPG. Aliás, o Nerdcast já estava no top five e, consequentemente, comecei a escutar as histórias de RPG contada pelo Jovem Nerd, Azaghal e convidados. Para quem não sabe o RPG e um jogo no qual os jogadores assumem o papel de personagens imaginários em um mundo fictício. Já aviso que são o máximo as histórias contadas no Nerdcast RPG.

2 – Mamilos 

Trazendo o jornalismo de peito aberto, o Mamilos debate assuntos polêmicos de uma forma inspiradora. Desde setembro, o podcast tem tratado de um assunto que eu gosto muito: a autoestima, através da microssérie “Viva o Seu Corpo”. Cada áudio desse projeto nos leva a refletir e muito sobre como vemos o nosso corpo.

3 – Líder HD

Produzido por Michael Oliveira, esse podcast foi um dos mais sugeridos nos comentários do primeiro artigo e com muita razão. Tem tanta coisa boa que até “buga” o cérebro. Minha sugestão +e esse podcast sobre pessoas tóxicas com direito a dicas sobre como lidar com elas.

4 – Café Brasil

Um lugar que reúne assuntos bem relevantes sobre a sociedade, comportamento, educação, encomia e por aí vai. Não dá para escolher um só, pois cada play é um banho de cultura. Mas você pode começar escutando “A era da inveja”, um conhecido traço da nossa personalidade.

5 –Líder Cast 

Quem gosta de empreendedorismo e liderança está no lugar certo. Nesse podcast rola muita conversa boa sobre esses temas e convidados “porretas”. Aliás, foi aqui que aprendi que o João Amoêdo vai bem além de um simples candidato.

6- ResumoCast 

Negócios, boas ideias e muita inspiração a gente vê por aqui. Para quem, assim como eu, tem vergonha de falar em público tem um ResumoCast feito para você, o “Como falar em público e encantar pessoas”.

7- Balanço Focado 

Esse podcast foi uma das minhas melhores surpresas. Gosto muito de assuntos voltados para a psicologia, mente e suas influências e aqui encontrei muito assunto massa como Logoterapia, como manter a mente clara e as gerações atuais.

8- RapaduraCast 

O cinéfilo de plantão provavelmente já ouviu algum dos inúmeros áudios do RapaduraCast. Aqui tem sempre conteúdo sobre os filmes lançados como o meu queridinho “Animais Fantásticos e os Crimes de Grindelwald”.

9- Código Aberto 

Aqui uma reunião com profissionais influentes do mercado, que em um bate-papo bem franco falam sobre suas ideias e o que ainda está por vir. Na lista temos Gabriela Viana, Diretora de Marketing para América Latina da Adobe e Marcelo Salgado, Gerente de Redes Sociais do Bradesco.

10- Não Salvo 

A família Não Salvo vem para deixar o nosso humor nas alturas com o melhor do entretenimento e diversão. Tá num dia bem mais ou menos, dá um play e divirta-se!

E para quem ainda está em dúvida se vale a pena “perder” alguns minutos ou horas ouvindo Podcast, dá uma olhada nesse balanço divulgado no site Meio & Mensagem:

“Apesar de podcasts nacionais já terem aparecido há 14 anos, os sinais de maturidade do formato são mais recentes. Cada vez mais marcas e conglomerados de mídia investem no meio, como o Spotify, que passou a produzir originais no Brasil e fez uma campanha com foco em podcasts. O Google lançou um aplicativo específico que, em poucos meses, já tinha 14% do mercado, segundo a PodPesquisa 2018, produzida pela Associação Brasileira de Podcasters e CBN. Afinal, smartphones Android, passaram a contar com o Google Podcast embarcado. A Globo passou a disponibilizar áudios de programas como Entrevista com Bial. Atrações brasileiras inspiradas em sucessos internacionais, como Estadão Notícias (similar ao The Daily, do New York Times) e Presidente da Semana, da Folha (como na série Presidential, do Washington Post), também chamaram a atenção. Ainda segundo a PodPesquisa, 63% da audiência de podcasts não escuta rádio, e 70% preferem seguir fiéis aos arquivos digitais, provando que esse é um novo e crescente perfil de público, muito diferente do tradicional ouvinte do radinho de pilha.”

Quando conheci Jesus

Há 3 anos e pouquinho estou no JS. Minha família sempre foi católica e eu sempre estive dentro da Igreja. Durante muitos anos vivi uma vida onde ser a melhor profissional, desejável e independente era tudo o que eu precisava.

Passava horas estudando, fazendo dietas, usando roupas curtas, frequentando bares, festas e me expondo de todas as maneiras que encontrava. Isso tudo frequentando a Igreja sem ao menos saber o que realmente fazia ali. Entre uma bebida e outra coordenava grupos de jovens, vivia uma vida mundana e ia desperdiçando a minha juventude sem ver.
Muitas vezes magoava meus pais que não queriam ver chegar em casa, uma filha bêbada ou que ia trabalhar depois de ter passado a noite toda em festas. Com 18 anos comecei a namorar, um relacionamento desregrado, com bebedeiras e traições. Nessa mesma época deixei de frequentar o grupo de jovens e as missas, já não rezava mais…

Meus pais não eram a favor desse relacionamento, pois viam meu sofrimento, mas mesmo assim eu insistia. A cada traição eu me perdia um pouco mais, só que não abria mão e minha família sofria por não poder me ajudar.

Quantas vezes meus pais me orientavam sobre o valor que um homem deveria dar a uma mulher. Nem assim, nem com tantos conselhos eu deixava o relacionamento terminar.

Ficamos sete anos juntos, entre idas e vindas e uma afetividade e sexualidade totalmente marcada por discussões, mulheres, bebidas. Mas num domingo, depois de uma noite inteira de brigas, minha avó inspirada por Deus, me deu um livro do Márcio Medes chamado “Como se dar bem com quem você quer bem” eu o li rapidamente e assim que terminei o livro, terminei também o relacionamento.

Claro que não foi fácil, me vi totalmente perdida e sem chão, mas algo já me incomodava há algum tempo e eu sabia que precisa ser firme nessa decisão e não voltar atrás, porque se continuasse me machucando daquele jeito eu iria terminar no fundo do poço.

Com o término voltei a frequentar barzinhos com amigas, mas durou pouco porque já não me via mais naquele ambiente. Então ao invés de curar as minhas feridas no álcool comecei a me viciar em dietas e atividades físicas.

Costumava ir a academia de segunda a sábado, alguns dias ficando horas me exercitando e passei a idolatrar meu próprio corpo. Não saia, não bebia, não me relacionava com ninguém. Só queria me ver bem no espelho, porque na minha cabeça essa era a minha verdadeira satisfação.

Em julho de 2015 viajei com algumas amigas, nessa viagem virávamos noites entre baladas e praias só queríamos aproveitar o tempo que estávamos fora. Eu já não pensava mais em encontrar alguém e aquele sonho de construir a uma família havia ficado esquecido.

Assim que retornei de viagem, fui encontrar meus pais que ajudavam na quermesse na paróquia e naquela noite minha mãe falou sobre os novos jovens que estavam frequentando a igreja. Mas não me interessei muito. No outro domingo fui à missa com meus pais e minha irmã e os “novos” jovens estavam convidando as pessoas para participar do Maranatha.

Eles haviam acabado de chegar na paróquia e iriam começar uma missão, a Missão JS São Paulo Apóstolo. Minha irmã pegou nossas fichas, mas como eu não queria ir, deixei para preencher no último dia e fui. A primeira impressão foi um susto, nunca estive em um retiro como aquele e mal conhecia a renovação carismática.

Só que lá, as coisas mudaram e foi no 1º Maranatha da SPA que finalmente conheci quem era Deus, claro que primeiro o enfrentei, questionei e o coloquei contra a parede. Em um momento forte de oração Jesus foi concreto ao responder todas as minhas perguntas dizendo através do Paulinho que era hora de me despir da armadura, de parar de aceitar migalhas de um relacionamento abusivo e me deixar ser curada.

Não precisei de grandes explicações, eu sabia que era comigo. Depois do Maranatha passei a frequentar a missão, não demorou muito para Deus me dar novos amigos e para ir me curando da vaidade, do feminismo e de todas as feridas que eu carregava.
Mas Ele queria muito mais de mim. Alguns meses depois do Maranatha, em novembro de 2015 minha mãe foi diagnosticada com um câncer de mama grave e eu me vi sem chão, éramos grudadas e eu não sabia como seria se algo acontecesse com ela.

Ela passou por cirurgias e quimioterapia nessa época eu já servia na missão e conseguia cuidar da minha casa e encontrar o conforto necessário na casa de Jesus. Cuide das coisas de Deus que Ele cuida das suas, era isso que eu pensava a todo instante. Durante todo o tratamento Jesus e Maria se fizeram presentes na minha casa como nunca tinha sentido antes.

Meus pais rezavam, iam a missa, estávamos sempre juntos e a missão havia se tornado em minha fortaleza, eu havia me apaixonado por Jesus tanto, tanto que mesmo em meio a tantos medos e tribulações eu estava feliz. No comecinho de 2016 conheci o Diogo, nos aproximamos na missão e nos tornamos grandes amigos.

Dessa amizade nasceu um caminho de namoro totalmente entregue ao Senhor e a Virgem Maria, começamos a namorar e ele passou a ser amado como um filho na minha casa e eu na dele. Deus havia me despertado e me mostrado que eu teria sim uma família, mas que ela seria primeiro de Deus e que Ele me ajudaria a atravessar tudo que ainda viria sem perder o foco naquele que me salvou.

A quimioterapia acabou nos primeiros meses de 2016 e minha mãe estava ótima, já tinha voltado à vida normal e o cabelo já estava crescendo. Mas em setembro ela voltou a sentir muitas dores e os exames não apontavam nada. Em outubro ela já não tinha mais forças para andar e um dia ela passou mal, foi internada e o diagnóstico que mais temíamos: metástase, o câncer havia voltado.

Durante duas semanas ficamos juntas mais uma vez. Eu, ela e Deus, passávamos a noite fazendo planos para o casamento quando ela saísse do hospital (sim, nesse meio tempo ficamos noivos). Eu e o Diogo já havíamos conversado e faríamos uma cerimônia simples assim que ela saísse do hospital.

Mesmo muito debilitada ela recebeu alta no fim de semana do Compromisso na Canção Nova. Nunca havia ficado tão dividida, vi os meninos entrarem no ônibus numa alegria e irem para a CN e eu precisava decidir se faria ou não o compromisso naquele ano.

No outro dia levantei cedo, tomei banho e fui. “Dar a Deus o que é de Deus”, fiz meu compromisso, me coloquei a disposição de Deus e na segunda minha mãe foi internada novamente. Foi uma semana intensa, nós duas nunca nos amamos tanto como naqueles dias. E na madrugada de sábado às 3h da manhã, hora da misericórdia, minha mãe descansou e se encontrou com Deus.

Chorei, sofri e ainda tenho saudade. Mas hoje compreendo que Deus me queria naquele Maranatha, que eu precisava despertar para assim conseguir ajudar a minha família. No meio da maior dor que já senti na vida, Deus me curou e me amou de tal forma que nunca ninguém vai me amar.

Através da decisão de ir ao Maranatha e de ser fiel aquilo que o próprio Senhor propôs para mim eu aprendi a me amar, a estar com a minha família, pude acompanhar a caminhada da minha mãe até o céu, compreendi que a morte é realmente o começo da vida eterna, passei a sonhar com as almas que estarão comigo diante de Jesus.

E, agora tenho a graça de poder construir a minha família ao lado daquele que o próprio Senhor escolheu para estar comigo, porque sim “os meus passos são teus, o meu próximo minuto é teu, se não for assim, não me deixe ir. Dou minha mão para Ti, leva-me Senhor’.

Se você que está lendo esse testemunho até aqui, entenda que você já é escolhido para também conhecer Jesus de uma forma única.

Só deixar um comentário ou me encaminhar um e-mail que vou ficar muito feliz por partilhar com você esse amor ágape.

Os encantos de Alfama

Escrevendo esse post só consigo pensar aonde eu estava que não conheci Alfama na primeira vez que estive em Lisboa!

Pensa num lugar repleto de boas histórias para contar. Isso é Alfama.

Depois de duas semanas que estávamos morando em Lisboa, tivemos que nos mudar para um lugar que cabia no nosso bolso.

E foi justamente em Alfama que encontramos esse lugar, carinhosamente conhecido como caixinha de fósforo. 😊

Para você se situar melhor. Alfama é um dos bairros mais antigos de Lisboa, a história revela que foi fundado por árabes que o nomearam de “Al-hama” (sim, você encontrará muitos árabes por aqui), cujo significado é “fonte de águas boas”.

O bairro é chamado carinhosamente como coração da cidade. E não seria diferente, ali é possível se perder por ruas estreitas, casinhas coloridas, nas conversas dos vizinhos e, como não poderia faltar, no bom fado ecoando pelas janelas dos pequenos e aconhegantes restaurantes.

Clique e passeie pelas ruelas de Alfama

Ah! Não se espante com as inúmeras e longas escadarias. Elas estão por todos os lados de Alfama e como recompensa te presenteiam com uma linda vista do rio Tejo.

Aliás, os encantos de Alfama são justamente esses pequenos detalhes como as cores, azulejos e pinturas nas casinhas. As roupas nos estandais e o convívio com a rotina dos moradores de lá.

E vale ressaltar que se vai conhecer esse lugar especial, não pode deixar de dar aquela olhadinha nos espaços mais tradicionais como a calçadinha de Santo Estêvão e o Miradouro que leva seu nome, o Chafariz d’elRei, o Panteão Nacional, a Igreja de São Vicente de Fora e um dos surpreendentes restaurantes com fado ao vivo.

Aposto que ficou curioso em conhecer tantos detalhes. Então conclui a leitura, compartilha com os amigos e vá se perder em Alfama.

Uma vez missionária, sempre missionária

Uma pequena partilha de um eterno coração missionário

No domingo (16 dez), foi a primeira vez que fomos a Santa Missa das 10h perto da nossa casa aqui na Baixa da Banheira em Portugal.

Por conta das mudanças, tem acontecido de cada domingo irmos a uma igreja diferente.

Entramos e a igreja estava lotada. O coral se dividia entre adultos, jovens e crianças e eram conduzidos por um homem tocando violão e um Frei que ajudava tocando piano em algumas músicas.

Sim, músicas! E até algumas conhecidas das missas do Brasil. Tudo muito simples e lindo!

Na homilia o padre falou de uma forma tão leve e didática que ficou fácil compreender todas as leituras e o Evangelho.

Até me lembrou meus dias na catequese.

Depois de receber Jesus, senti meu coração palpitar de alegria exatamente como São Paulo descreveu na Segunda Leitura (Fl 4,4-7).

“Leitura da Carta de São Paulo aos Filipenses:

Irmãos: Alegrai-vos sempre no Senhor; eu repito, alegrai-vos. Que a vossa bondade seja conhecida de todos os homens! O Senhor está próximo!”

Dentro do meu coração as palavras da leitura, o entendimento delas se juntavam com uma música muito especial: ” Mas quem vai apagar, o selo que há em mim, a marca da promessa, que Ele me fez”…

E essa alegria se transformou num sonho. Olhava aquela igreja cheia de jovens, alguns de canto, outros meio perdidos e pensava em como seria se ali tivéssemos um grupo de oração sarado.

Música, pregações, adoração, louvores, partilhas. Jovens reunidos para conhecer a verdadeira alegria que vem de Deus.

Sai de lá pensando em como essa marca da promessa fica realmente fixada no coração daquele que se abre as coisas de Deus.

Me lembro do meu sim lá na Canção Nova e como foi doido quando essa música tocou e aquele monte de jovens pulando, chorando e gritando eu tenho a marca da promessa.

Aliás, lembro bem do Pe. Edimilson falando que existiremos enquanto permanecer em nós essa loucura por salvar almas jovens.

E percebi que essa cruz de madeira que carrego no peito por baixo desse monte de blusa de frio, continua aquecendo um coração que ama Jesus acima de tudo e que tem sede de almas jovens para Ele.

14600910_344977719185312_7487038111580133833_n

Sua meta para 2019 também é ser mais produtivo?

Para grande parte das pessoas, o fim do ano é a época perfeita para rever seus conceitos, avaliar quais as melhores mudanças e colocar os desejos futuros no papel.

Comigo não é muito diferente, tanto que o ano nem acabou e o primeiro item da minha lista de resoluções para o novo ano é: ser mais produtiva.

Como eu sei, que assim como eu, existe por aí várias pessoas que também incluiu esse ícone nas suas listinhas de desejos pessoais, resolvi partilhar com vocês algumas ideias para otimizar nosso tempo e nos tornarmos pessoas melhores.

Seja – de fato – mais produtivo

Antes de apresentar a minha lista, precisamos deixar bem claro para nós mesmos o que é ser mais produtivo. É concluir a lista de afazeres do dia? Conseguir ir ao mercado nas datas estipulados? Ou finalizar projetos que estavam na gaveta?

Para mim, ser produtivo é saber aproveitar bem o tempo e a energia que eu dedico para a resolução dos meus problemas. É viver a vida como ela merece ser vivida tendo consciência, equilíbrio e tranquilidade sem desperdiçar o tempo.

Talvez nem todas as ideias combinem com o seu perfil e forma de ver a vida, mas mesmo assim, insisto para que você ao menos experimente algumas delas (se possível todas) durante 1 mês.

Se não der certo, amém. É só partir para a próxima. Aqui o que vale é levar as coisas a sério e experimentar novos hábitos que – adequando ou não na sua produtividade – vão te ajudar a descobrir o que de fato funciona para você.

Anote aí

– Desligue a função soneca

Não sei de onde tiramos que depois de apertar os 5 minutinhos após o despertador tocar, voltamos a dormir relaxadamente como antes. Além de não ajudar na qualidade do nosso sono, a função soneca só nos deixa com mais preguiça de acordar. Tocou o despertador? Pula já da cama.

– Alongue-se pela manhã

Depois de uma noite inteira de sono, nosso corpo pede aquela bela esticada para acordar. Muitas vezes dar aquela boa espreguiçada não é o suficiente, por isso, crie o hábito de tirar alguns minutinhos da sua manhã para se alongar. O Youtube tem vídeos rápidos e fáceis de acompanhar. Seu corpo agradece.

– Invista no café da manhã

Todo nutricionista fala da importância da primeira refeição do dia, nós nem sempre acreditamos ou o tempo nos faz deixá-lo de lado. No entanto, um café da manhã de responsa – que inclui bons nutrientes – nos ajuda a ter mais ânimo durante o dia e nos sentir mais saciados, deixando quase que automaticamente as escolhas ruins para outro dia.

– Aproveite a vitamina D (do sol)

A luz do sol é a principal fonte de vitamina D. Essa mesma que nos ajuda a ficar mais espertinhos. Por isso, é importante encontrar uma forma de pegar um sol, no caminho para o trabalho, tomando um café na varanda, dando uma volta pelo bairro ou até pela na janela do escritório.

– Beba água

Super clichê, beba 2 litros de água por dia e sinta a diferença. Eu não sei se você precisa de 2 litros, mas eu sei que beber água é essencial para manter seus níveis de energia regulares. Ter um copo ou garrafa bonita por perto te ajuda nisso. Testei e comigo deu certo.

– Crie metas semanais

Sempre achei importante fazer uma lista de coisas que preciso conquistar durante a semana. Das mais banais do tipo comprar papel higiênico à reunião com cliente. Sempre com informações detalhadas para ler e conseguir pensar em como vou ser bem-sucedida em cada uma delas. Ah! No domingo reviso as metas passadas e atualizo as novas. Faz uma diferença daquelas!

– Tenha prazos

Ainda gosto de usar a agenda de papel, que me ajuda tanto a criar as metas quanto definir prazos para cada uma delas. Mas você também pode usar aplicativos no celular ou calendário no computador. O que importa é deixar bem claro os prazos para cumprir na semana, mês e ano. Aqui também vale tudo, como por exemplo, consultas médicas, provas, compras etc.

– Não tome café depois das 16h

Confesso que minha mãe sempre me falou isso, mas dizer “não tome café” para alguém que é viciada é bem fora da casinha. Nunca dei muita bola para isso, mas me deu uns 5 minutos e eu resolvi testar. Sim! Deu uma diferença e tanto. Aí passei a entender que nem todas as pessoas podem ingerir cafeína antes de dormir e ainda assim ter uma boa noite de sono. Trocar por um leite morno ou um chá de ervas foi uma ótima opção.

– Use fones de ouvido

E aqui não vou falar que o uso se faz obrigatório em transportes e lugares públicos certo? Quando trabalhava na revista, tínhamos um código interno: quando alguma jornalista estava de fones de ouvido ela estava muito ocupada. Na maioria das vezes eu colocava uma música, podcast ou vídeo para rodar enquanto trabalhava. Porém, já usei muito fone desligado só para manter a concentração e valeu a pena.

– Deixe seu ambiente de trabalho organizado

Seja mesa ou armário, em casa ou no escritório. O importante aqui é manter o seu ambiente de trabalho sempre limpo, organizado e se possível bem decorado. Faça aquela faxina quando o expediente estiver terminando, deixe no seu campo de visão apenas coisas necessárias e ocupe o espaço com coisas que te deixem alegre. Essa atitude vai tornar seu ambiente de trabalho bem mais harmonioso e sua mente mais tranquila

– Faça uma lista de tarefas

A melhor atitude para facilitar o trabalho amanhã é concluir o dia anterior com uma lista de tarefas.  Aqui é válido incluir atividades profissionais, afazeres da hora do almoço e após o expediente. Você pode dividir por tópicos como por exemplo: no mercado, no computador e por aí em diante.

– Tenha contato com a natureza

Caminhar no parque, pisar na grama, ir à praia, um fim de semana numa chácara. Aqui tudo é válido e muito importante. Estar em contato com a natureza influencia diretamente na nossa energia e essência, nos ajuda a respirar melhor, acalmar a mente e relaxar o corpo.

– Encontre uma atividade física que te dá prazer

Aqui não estamos pensando em manter o corpo em forma, isso é consequência. Mas sim em encontrar uma atividade onde você movimente seu corpo de verdade. Caminhada, corrida, pilates, yoga, dança, natação, lutar, fazer faxina. O importante experimentar qualquer coisa que tire o seu corpo da inércia e que você consiga fazer algumas vezes na semana.

– Tenha um tempo seu

Pense em um momento para você se dar de presente. Não vale comer uma panela de brigadeiro, um rodízio de pizza ou comprar três pares de sapatos. Nada de compensações! O lance é ter um tempo de qualidade de você para você mesma. Cuidar dos cabelos, da pele, das unhas, fazer uma massagem, ler um bom livro, tomar um café, ter um tempo de oração, meditação… pense e inclua esse mimo ao menos uma vez na semana.

– Se organize no dia anterior

Prepare na noite anterior tudo o que você vai precisar no dia seguinte: refeições, roupas, pautas da reunião, livros para entregar na biblioteca, agendas, coisas para levar na bolsa. E assim, poupa o tempo e a confusão na manhã seguinte. Além de reduzir o risco de esquecer alguma coisa.

– Evite celular e TV antes de dormir

A luz azul que irradia desses aparelhos afetam nosso sono, pois induzem nosso corpo a pensar que ainda é dia. O ideal é trocar as horinhas antes de dormir por uma boa leitura – que ainda vai dar aquele up na criatividade e imaginação. Para os viciados de plantão, já existem alguns aplicativos que substituem a luz azul por outras tonalidades, como alaranjada, o que pode ajudar um pouco.

– Esvazie a mente

Por último, mas não menos importante. Esvaziar a mente é algo que todo mundo precisa fazer. Recebemos incontáveis informações diariamente, muitas delas não tão legais e isso mexe muito com a nossa autoestima e produtividade. Uma forma de deixar a mente bem vazia é colocar os problemas no papel, aquele desabafo mesmo e depois com calma tentar encontrar formas de solucioná-los.

Ainda dá para incluir muita coisa bacana nessa lista. Mas acho que para começar está ótimo e até vai dar um certo trabalhinho enquanto não entramos no eixo.

Escolha ao menos 5 delas para colocar em prática e depois me conta se te ajudou!

Nossa nova casa

Não é novidade que arrendar (ou alugar no português do Brasil) imóveis em Portugal não está nada fácil.

Se engana quem acha que as dificuldades são apenas para os imigrantes.

Ao ponto que chegamos – com muitas pessoas vindo morar em PT -, todo mundo sofre um pouco.

Antes de vir para Lisboa já sabíamos disso, pesquisamos regiões mais em conta. Tendo em vista que Lisboa e Porto estão com os valores nas alturas.

Também vimos muitos quartos, apartamentos e todo tipo de lugar que dava para chamar de lar.

Depois disso, nos preparamos psicologicamente e financeiramente.

Durante 1 mês ficamos hospedados em dois apês pelo Airbnb. Dois achados diga-se de passagem e com um descontão!

Enquanto isso continuávamos procurando algo para arrendar. Inicialmente nossa ideia era um quarto.

Mas já fica a dica que para casais, em Lisboa você quase não encontra quartos por menos de 400€ mensais.

Entenda
Casa de banho = banheiro
T1 = 1 quarto
T2 = 2 quartos
T3 = 3 quartos…

Além disso, mesmo em regiões mais afastadas ou cidades vizinhas as burocracias são aos montes.

Veja algumas delas:

Caução: é um requisito comum no arrendamento em Portugal. Quem deseja arrendar um imóvel esbarra com um pedido de caução por parte da imobiliária ou de um senhorio. O pedido pode ser de 1 ou mais valores, tudo depende do acordo feito.

Fiador: essa é outra garantia que imobiliárias e senhorios costumam pedir. Aqui o fiador tem que ser residente, e como ele fica responsável por prestar garantias pelo assinante do contrato, é quase impossível encontrar alguém que tope a responsa.

Adiantamentos: e para dificultar só mais um pouco, em algumas ocasiões o senhorio ou imobiliária pedem valores adiantados de arrendamento. Já vi gente pedindo até 12 meses de adiantamento.

Doidera demais!

Também ouvimos inúmeros relatos de pessoas que passaram vários perrengues antes de encontrar um lar doce lar.

Lar doce lar

Mas temos uma boa notícia,  e como disse o título desse post ja temos uma nova casa!

Uhulll

Deus tem sido muito bom conosco nesse tempo de mudança e colocado as pessoas certas no nosso caminho.

Uma amiga nos ajudou a encontrar um ótimo apê, com considerações e burocracias muito melhores do que estávamos pensando.

Como dizemos no Brasil “um belo negócio”.

Agora estamos morando na Margem Sul, numa cidadezinha chamada Moita, distrito de Setúbal.

Muito perto de Lisboa, afinal, Portugal é bem menor que o Brasil e a tendência é tudo ser relativamente perto.

Felizes demais por tudo acontecer no tempo de Deus e por conseguirmos ver a graça em cada detalhe.

Como já disse, numa mudança tudo é comemorado e estamos em plena comemoração!

Em tudo dai graças!

Ah! Para quem esta pensando em vir para Portugal, a dica é prepare-se financeiramente, pesquise as regiões e suas possibilidades.

Tenha cuidado com imóveis que você não viu pessoalmente ou com aqueles e-mails de proprietários que só “viajam”.

Além disso, tenha calma e fé. Se você juntar isso com um pouco de persistência, com certeza as coisas do lado de cá vão dar certo.

E antes de concluir esse post vou deixar aqui alguns sites que ajudam e muito na busca de um imóvel.

olx.pt
Custojusto.pt
Idealista.pt
Imovirtual.com

Dica extra
Se a sua casa não tem isolamento térmico, um bom aquecedor vai fazer a diferença no inverno.

E já que falamos nele. Lembre de olhar se o imóvel tem termoacumulador, que é um sistema de aquecimento de água que dispõe de um reservatório próprio para colocar a água e mante-la quentinha. Tá ai uma coisa que é fundamental.

Agora é curtir a nova casa e continuar correndo atrás dos nossos planos.

Se você conhece alguém que está planejando morar em Portugal ou que está na saga do arrendamento, compartilha esse post com ele.

Decepção não vai pra rede

Hoje quero partilhar uma coisa muito importante com vocês: a minha primeira frustração aqui em Portugal.

Pois é, na mudança tudo é novidade. Pensamos em quanta coisa fotografar para postar nas redes sociais e contar quanta coisa massa tem no seu novo habitat.

E isso não é errado. Eu mesma sou daquelas que gosta de contar histórias e incentivar as pessoas com boas notícias.

Mas para isso acontecer você precisa entender que não é só de dias bons que vivem aqueles que se aventuram.

Existem burocracias, leis, padrões a serem seguidos, que na maioria das vezes são completamente diferentes dos seus. Existe saudade, tristeza e mudança de temperatura.

Tudo isso junto pode gerar grandes frustrações e se não nos apegarmos a algo maior, ai pronto. Tudo vai por água abaixo.

Tive poucas frustrações na vida, talvez porque nunca fui de depositar muitas expectativas em algo, mas vir para Portugal foi diferente.

Era um sonho. E atravessar o oceano para estar aqui foi um grande passo.

No entanto, quando cheguei vi que de fato não era tão fácil como parecia na internet.

De cara tive que enfrentar as burocracias para as primeiras documentações. Na minha mente seria relativamente fácil e eu conseguiria resolver logo na primeira semana.

Porém a primeira semana passou e eu continuava aqui sem nenhuma documentação. Sem poder trabalhar, alugar algo ou conseguir os descontos nas compras.

Para aqueles que escondem bem a ansiedade como eu, esperar é algo um tanto desesperador.

E olha que eu tenho trabalhado bem esse meu lado.

No entanto, foram nãos e mais nãos e no meu íntimo uma frustração. E ai aprendi que para a frustração passar precisamos encara-lá cara a cara.

Aposto que você também já se frustrou com algo e veio aquela vontade de recuar ou até uma pontinha de arrependimento.

Mas te digo. Não pare no primeiro obstáculo, ele é que vai te mostrar que você é mais forte do que parece.

No meu caso foi assim. Depois do não, respirei fundo, conversei com Deus e montei uma estratégia mental para continuar.

Fiz alguns contatos, contei com a ajuda de amigos e conheci pessoas que me ajudaram a encarar a primeira frustração.

Finalmente, estando há 2 semanas aqui em Portugal consegui tirar o primeiro documento.

Tá eu sei que algumas pessoas vão dizer que é pouco tempo para muito mimimi.

Mas garanto que passar por isso longe do seu país e das pessoas que ama não é nenhum pouco fácil.

Coração mais aliviado, mas a consciência bem sabe que ainda falta muito pra seguir.

E porque estou contando isso agora?

Para te mostrar que a vida não são só flores, filtros e posts nas redes sociais. Tem muita coisa em jogo e se não focarmos em algo a tendência é ir aonde o vento te levar.

Se posso te falar algo. Vá sempre em frente!

Se caiu, se decepcionou, machucou. Saiba que é aprendizado. Dali para frente é luta, confiança e fé.

E isso eu tenho aprendido aos montes por aqui.

Mas agora quero saber de você. Também passou por alguma frustração? Como fez para a dar a volta por cima?

Deixa ai nos comentários e vamos aprender juntos a seguir em frente.

Viver com Jesus do outro lado do oceano

Outro dia me perguntaram como tem sido viver com Jesus aqui em Portugal. E eu seria bem hipócrita ao dizer que está tudo igual, pois não está.

Mas entendo que a diferença maior não é a língua ou a forma do padre celebrar a santa missa e, sim, como eu tenho me sentido diante de tantas mudanças.

Para quem não sabe, tive meu encontro com Deus através da Missão Jovens Sarados e desde o primeiro momento comecei a me doar como missionária nessa obra.

A vida em missão é muito movimentada, ainda mais nós que vivemos a radicalidade do evangelho dentro da renovação carismática.

Muito louvor, oração em línguas e todo aquele fogo do Espírito Santo do jeito sarado de viver as coisas de Deus nesse mundo.

E por aqui ainda não encontrei grupo de oração ou missa carismática.

Mas entenda, isso não quer dizer que estou aqui vendo a vida passar 😂

A primeira coisa que fazemos quando chegamos em um lugar é saber aonde fica a Igreja.

Graças a Deus, aqui não temos dificuldade. São muitas igrejas espalhadas por Lisboa, uma mais linda que a outra e muitos horários de missa.

Ah! Sim dá para entender tudo durante a missa, basta prestar bem atenção.

E ainda tivemos a graça de ficar hospedados perto de uma Igreja onde o Santíssimo ficava exposto de segunda a sexta das 8h30 às 18h30.

Maravilha né?

Mas voltando ao que interessa. Durante toda essa fase de adaptação tenho compreendido que esse momento que vivo da minha fé, é um tempo a sós com Jesus.

Sabe quando Ele vai sozinho ao deserto para rezar? É parecido com isso, porém estamos Jesus, eu e o Diogo.

É assim que tenho vivido durante esse primeiro mês em Portugal.

Momentos silenciosos de profundo encontro com Deus. Dias que cantamos e dançamos para matar aquela saudade da missão.

Estar longe de quem você ama tem dessas. Parece que automaticamente nos afastamos de Jesus, sendo que Ele está ao nosso alcance o tempo todo.

Como disse, não é fácil. Porém não é impossivel!

Estou vivendo uma nova experiência com Jesus e Maria.

Fazendo dos meus dias de silêncio, oração em casal e encontros com Jesus na Eucaristia, meu abastecimento.

E mais que isso, sendo fiel a missão de ser uma jovem sarada, uma família sarada com a nossa vida do lado de cá.

A única verdade que tiro disso tudo é que Jesus está aonde meu coração também está.

Ss você também está longe de casa, faça a experiência de partilhar seus momentos com Jesus na essência e verá que Ele está se manifestando onde você menos espera.